Lúpus Eritematoso Discóide

agosto 7, 2012 | In: Sem categoria

 

LÚPUS ERITEMATOSO DISCÓIDE

 

O lúpus eritematoso discóide é uma dermatose imunomediada em que, devido a uma resposta imunológica anormal contra o próprio tecido, ou um componente tecidual, ocorrem reações de hipersensibilidade do tipo II e III que se manifestam no tegumento.

A causa não é ainda conhecida, porém sabe-se que a exposição ao sol agrava a doença em 50% dos casos. Entre as raças predispostas estão os collies, pastor alemão, huskie siberiano e sheepdogs de Shetland.

O sinal mais comumente associado ao LED é a dermatite nasal. Podem existir graus variáveis de despigmentação, eritema, ulceração e erosões.

A extensão do prurido é variável, contudo, são comuns as escamas e crostas no plano nasal e narinas, podendo envolver também áreas perioculares, pina da orelha, lábios e membros.

A arquitetura nasal normalmente áspera, em forma de calçamento de pedras é substituído por uma superfície lisa.

O diagnóstico definitivo do LED baseia-se na história, exame físico e biopsia de pele.

Os diagnósticos diferenciais incluem piodermatite nasal, demodicose, dermatofitose, pênfigo eritematoso ou foliáceo, dermatomiosite, síndrome uveodermatológica, dermatite nasal solar e despigmentação nasal. Somam às afecções supracitadas o vitiligo, linfoma epiteliotrófico, reação à droga, dermatite de contato e trauma.

Em relação ao tratamento, de um modo geral, as possíveis drogas utilizadas para terapia imunossupressiva aplicadas às doenças auto-imunes são a prednisona, azatioprina, clorambucil, aurotioglicose e niacinamida combinada à tetraciclina. Possivelmente o tratamento será vitalício. É indicada a monitorização do paciente e a descontinuidade do tratamento frente à ocorrência de efeitos colaterais incompatíveis com a saúde do paciente.

Aproveite para se atualizar com nossa turma de Dermatologia – Online que inicia hoje. Últimas vagas! Saiba mais: http://tinyurl.com/7afz942

 

Por: Gabrielle Fornazari

 

 

*REFERÊNCIAS

* SCOTT, D. W.; MILLER, W. H. & GRIFFIN, C. E. Dermatologia de pequenos animais 5 ed. Rio de Janeiro: Interlivros. 1996. 534 – 542.

*Bubniak, D. F. Lúpus Eritematoso Na Espécie Canina – Revisão De Literatura. Monografia de especialização em Clínica Médica de Pequenos Animais. Disponível em: https://www.equalis.com.br/biblioteca_online/resumo.php?artigo=232

Comente